terça-feira, 23 de dezembro de 2008

BEM AVENTURADOS OS POBRES DE ESPÍRITO



PARIS 1955
Werner Alfred Rosenberg dit Vero


Sim
Confesso, tenho medo
Medo, da estupidez humana
Confesso, e peço o perdão das minhas culpas
Perdão pela cobardia
Quando morre um inocente
Quando uma mulher é batida, violada
Quando uma criança sofre na sua carne e no seu Espírito
Quando
Eu
Ser inteligente, ou pretendido ser
Olho divertido
Um jogo de futebol
A invasão do Iraq
A construção do muro da vergonha
Perdão pelo silêncio
Quando devia gritar
Perdão pelo apoio
Quando devia calar
Como o ser humano é um ser minúsculo

feliz natal Santo Comércio

Carlos Tronco

1 comentário:

poematar disse...

Óptimo texto. tudo de bom