domingo, 1 de fevereiro de 2009

Até ser dia

Noite e dia perguntei
O que será o amor
Da vida interroguei
O tom cor e sabor
Pedi ao vento vadio
Às flores e mulheres em cio
Procurei brando calor

Cada um o seu sentir
Respondeu sem hesitar
É loucura perguntar
A vida passa a fugir
Entre o parto e a morte
É vida e quando há sorte
Fadas ajudam o parir

Perplexo, duvidei
Sendo tão fácil a resposta
Porque a vida é tão torta
O divino é complexo
Obra de "Deus" o destino
Pode o humano ser "Lei"?

Deixo a pergunta aos astutos
Algozes, parvos e brutos
Não me vão contaminar
Procuro a resposta nas estrelas
Nos mares, nas ondas mais belas
O meu fado sempre amar

1 comentário:

alfoh disse...

BOA PERGUNTA.
O QUE SERÁ O AMOR.