quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Terra




Terra,
Não Santa Terrinha
Na serra

Terra
Sim, chão para trigo
Pão e sepultura

Terra
Não lugar engraçado
Em mapa rosado

Oh terra impura...

Terra da amargura
Tu, que lavro com carinho
E fecundo..

Pão e vinho
O fruto
Da nossa guerra.

Quantas almas
Foi preciso
Sacrificar
Para o teu nome santificar?

Carlos Tronco
Mondeville
24/10/06

2 comentários:

jose candido disse...

Bonita poesia e uma fotografia que apenas já me recordo. Nasci em Angola-Mucaba-Carmona mas filho de pais de Tinhela. Vagamente me lembro de vós quando da vinda de Angola. Um abraço.

Carlos Tronco disse...

Mucaba?
Seras filho do Candido e da Libana?
Um abraço do norte de França.